ARTIGOS

JUSTIÇA LIBERA EMISSÃO DE NOTA PARA DEVEDOR DE ISS EM SP

Escrito por

JUSTIÇA LIBERA EMISSÃO DE NOTA PARA DEVEDOR DE ISS EM SP

Após tentar emitir NF, uma empresa devedora de ISS no Município de São Paulo, foi surpreendida com o bloqueio da emissão de nota eletrônica, ficando assim impedida do exercício das atividades e sendo cobrada de forma coercitiva.

Assim, diante de patente ilegalidade e meio coercitivo de exigir o pagamento do ISS, a empresa que necessitava emitir suas Notas Fiscais, buscou em juízo seu direito tendo em vista a manifesta ilegalidade que restringe o exercício das atividades dos contribuintes que dependem da emissão de NF para trabalhar.

Desta forma, a 15 Vara da Fazenda Publica da Capital, acatando pedido do advogado Augusto Fauvel de Moraes deferiu liminar e determinou a emissão de NFS-e suspendendo a aplicação da  Instrução Normativa SF/SUREM n. 19/2011 da Prefeitura Municipal de São Paulo e determinou o restabelecimento da autorização para emissão de notas fiscais eletrônicas de serviço no prazo de 48 horas a contar da intimação

3. TJ-SP
Disponibilização:  terça-feira, 22 de novembro de 2016.
Arquivo: 593 Publicação: 24
 
Fóruns Centrais Fórum Hely Lopes 15ª Vara da Fazenda Pública
Processo xxxxxxxxxxxxxxx.2016.8.26.0053 - Mandado de Segurança - DIREITO TRIBUTÁRIO - xxxxxxxxxxxxxxxxxxx Ltda - Vistos. Pretende a impetrante, em sede liminar, o afastamento do ato apontado como coator que impôs ao impetrante a restrição para emissão NFS-e. Consoante se depreende dos autos, a emissão de NFS-e por parte da impetrante foi suspensa com amparo na Instrução Normativa SF/SUREM n. 19/2011.Revendo anterior entendimento, com base na ordem de argumentação de que a sanção imposta pela autoridade impetrada constitui afronta às Súmulas 70 e 547 do Supremo Tribunal Federal e na jurisprudência majoritária do nosso Egrégio Tribunal de Justiça de São Paulo, DEFIRO A LIMINAR para suspender a sanção aplicada à impetrante, determinando o restabelecimento da autorização para emissão de notas fiscais eletrônicas de serviço no prazo de 48 horas a contar da intimação da impetrada, servindo a presente decisão como ofício e mandado. Providencie a impetrante o recolhimento de mais uma diligência do Oficial de Justiça tendo em mente a realização de dois atos distintos, quais sejam, o de notificação da autoridade coatora e o de cientificação do seu órgão de representação judicial, consoante disposição do art. 7º, incisos I e II, da Lei 12.016/09. Feito isso, notifique-se a autoridade coatora para cumprimento da liminar bem como para prestar informações no prazo legal. Após, ao Ministério Público e conclusos .Intime-se. - ADV: AUGUSTO FAUVEL DE MORAES (OAB 202052/SP)